Arquivo da tag: osx

Trocando a versão do Python no macOS

Olá,

Ao instalar o macOS ele traz diversas linguagens e seus interpretadores já pré-instalados. Ele traz o Python, o PHP, o Ruby, entre outros.

Mas talvez você tenha tido o mesmo problema que eu. Eu precisava fazer com que os comandos que eu tenho que chamam o Python, passassem a chamar uma outra versão do Python, sem que eu tivesse que mudar todos os meus scripts. Seria fácil fazer um alias ou mudar os scripts para python2 ou python3, mas essa com certeza não era pra mim a melhor solução.

A primeira coisa que fiz foi instalar as versões que eu queria. Então usei o Brew para me ajudar com isso. Instalei rapidamente o Python 2 e 3 atualizados com os comandos no Terminal:

brew install python
brew install python3

Caso você queira saber se está funcionando digite:

python2 --version
python3 --version

O Terminal deverá exibir as versões após a execução das linhas acima.

Após isso ainda não fizemos nada, apenas deixamos instaladas as versões que queremos.

É totalmente desaconselhável remover a versão que já vem no macOS, isso deve quebrar algumas coisas que dependem disso.

A primeira coisa a se fazer é definir a ordem de como o sistema irá procurar o comando “python” no macOS. Para isso edite o arquivo com o nano, assim:

sudo nano /etc/paths

E verifique se a primeira linha do arquivo está como:

/usr/local/bin

Caso não esteja, remova ela de onde estiver e coloque na primeira linha do arquivo.

Isso fará com que os “binários” sejam procurados primeiramente na pasta “/usr/local/bin“, dando preferência aos “binários” e links simbólicos dentro desta pasta.

Agora tudo o que precisamos fazer é criar um link simbólico dentro de “/usr/local/bin” que tenha o nome “python” e aponte para a nossa versão do Python que queremos (2 ou 3, depende da sua necessidade).

Para isso execute a seguinte linha para o Python 2:

ln -s /usr/local/bin/python2 /usr/local/bin/python

E para o Python 3 digite no terminal:

ln -s /usr/local/bin/python3 /usr/local/bin/python

Caso você já tenha criado anteriormente algum link simbólico e deseja trocar, apague o link simbólico atual com a seguinte linha:

rm -f /usr/local/bin/python

Não precisa executar estas linhas como root/sudo, pois seu usuário já tem acesso a ela.

Caso você queira atualizar o Python, basta executar o Brew com o parâmetro upgrade, assim:

brew upgrade python
brew upgrade python3

Ao terminar tudo, reinicie seu terminal para que as alterações façam efeito.

 

Obrigado e até o próximo post pessoal.

OSX – Removendo todos os arquivos .DS_Store

Olá pessoal,

Um problema muito comum em meio aos usuários de MAC/OSX, principalmente para quem desenvolve, são os famosos arquivos .DS_Store.

Para remove-los completamente de uma pasta específica basta uma linha de comando.

Abra o seu Terminal, entre na pasta raiz do seu projeto ou na pasta raiz que você deseja limpar e execute:

find ./ -name ".DS_Store" -depth -exec rm {} \;

Caso você queira remover de todo o seu computador, use com o sudo e insira a senha do seu usuário, se solicitado:

sudo find / -name ".DS_Store" -depth -exec rm {} \;

Bom, espero ter ajudado com esta dica.

Obrigado e até o próximo post pessoal.

Golang – Ferramenta para upload do arquivo DSYM para o Fabric/Crashlytics

Olá pessoal,

Lancei uma ferramenta para enviar o arquivo DSYM (arquivo contendo os “debugs symbols” gerado ao compilar uma aplicação para OSX ou iOS) para o Fabric/Crashlytics manualmente, via linha de comando.

Você pode integrar esta ferramenta em seu processo de deploy ou integração contínua, usando o Jenkins ou Fastlane por exemplo.

Uma dica para quem vai usar com o Fastlane é usar o comando abaixo para executar a ferramenta:

sh "cd .. && fabric-upload-dsym --bundleid=[YOUR-APP-BUNDLE] --fabricapikey=[YOUR-FABRIC-API-KEY] --file=[ZIPPED-DSYM-FILE]"

 

Obrigado e até o próximo post pessoal.

Mac – OSX – Conectando via SSH e mantendo a conexão aberta (KeepAlive)

Olá pessoal,

Esta dica é bem importante e resolve o problema de muita gente que ao conectar via SSH em uma máquina, percebe que depois de algum tempo a conexão é encerrada, necessitando criar uma nova.

Isso ocorre devido ao cliente OpenSSH que vem no Mac (OSX) não enviar o comando de Keep Alive (manter vivo), que como o nome já diz, mantém a conexão “viva”.

Para fazer isso siga os passos abaixo executando os comandos direto no terminal:

1 – Abra o terminal

2 – Crie a pasta “~/.ssh/” (caso já não exista) com o comando:

mkdir ~/.ssh/

3 – Edite o arquivo “config” com o programa “nano” (caso ele não exista, o próprio “nano” criará):

nano ~/.ssh/config

4 – Adicione as linhas:

Host *
    ServerAliveInterval 60

5 – Salve o arquivo com CONTROL + O

6 – Feche o editor com CONTROL + X

7 – Reinicie o terminal para que as mudanças tenham efeito.

 

Existe uma forma de fazer diretamente na execução do comando SSH, assim:

ssh -o ServerAliveInterval=60 servidor.com

 

Obs: Você pode experimentar diferentes intervalos de tempo do envio da informação do keep alive.

 

Obrigado e até o próximo post pessoal.

PHP – Atualizando o PHP no Mac – OSX

Olá pessoal,

Se você possui um Mac e deseja atualizar a versão do PHP que vem nele, existem comandos simples que você pode executar no terminal para realizar esta façanha de forma simples.

Segue abaixo uma lista com os comandos para cada versão (basta copiar e colar no terminal que o script faz todo o restante para você):

PHP 7.0 (Versão estável):

curl -s http://php-osx.liip.ch/install.sh | bash -s 7.0

PHP 5.6:

curl -s http://php-osx.liip.ch/install.sh | bash -s 5.6

PHP 5.5:

curl -s http://php-osx.liip.ch/install.sh | bash -s 5.5

PHP 5.4 (Esta versão já não é mais utilizada):

curl -s http://php-osx.liip.ch/install.sh | bash -s 5.4

PHP 5.3 (Esta versão já não é mais utilizada):

curl -s http://php-osx.liip.ch/install.sh | bash -s 5.3

Lembrando que este script não modifica ou apaga a versão do PHP que vem nativamente com o OSX, por isso ele instala em uma pasta diferente. Para você sobrescrever o comando “php” do OSX para apontar para a sua nova versão instalada, faça o seguinte:

1 – Edite o arquivo “.bash_profile”:

nano ~/.bash_profile

2 – Adicione as linhas e salve o arquivo:

export PATH=/usr/local/php5/bin:$PATH

3 – Atualize os comandos no terminal:

source ~/.bash_profile

 

Para verificar a versão do PHP e saber se tudo deu certo, basta executar:

/usr/local/php5/bin/php -v

Por padrão o script “packager” é instalado em “/usr/local/packer” e o PHP é instalado em “/usr/local/php5”. Ao longo da instalação o script pedirá sua senha de usuário, mas fique tranquilo, pois ele pede para copiar os arquivos para as pastas internas do sistema.

Caso você queira saber mais sobre como executar o “pecl”, alterar o “php.ini”, “memcached”, acesse o site oficial: http://php-osx.liip.ch/ e neste mesmo site você fica sabendo de todas as versões PHP suportadas.

Obrigado e até o próximo post pessoal.